Partido da Justiça Social

Manifesto do Partido

No Brasil, a justiça não existe. O que existe é um sistema judiciário arcaico, desmoralizado, falido, corrupto, ineficiente, incompetente...(para encurtar adicione mais umas 10.000 palavras do gênero). O sistema judiciário, junto com os outros dois poderes, o executivo e o legislativo, lotearam o poder do governo central e delegaram entre si as prerrogativas e poderes de cada um. Assim, um poder não interferiria no outro, dando condições de isenção e autonomia para tomar as decisões sem interferência um do outro.

Teoricamente é tudo muito belo. Mas, a prática nos mostra a perversidade do poder, quando interesses particulares e/ou partidários é que movem a justiça e a política nacionais. E o bem comum, do povo, da nação é relegado, deixado de lado e nunca lembrado nas práticas dos poderes. Pratica-se então a justiça do rico para o rico, a política idem. Enquanto o povo e a nação sustentam com seu suor essa justiça e essa política do faz-de-conta sem receber nada em troca.

Precisamos de uma mudança, de uma transformação nas raízes do problema. Enumeramos algumas propostas para essa mudança, e por mais utópicas que sejam, são necessárias se quisermos ter justiça social:

1. Dissolução do congresso e do senado. Novas eleições em 3 meses onde candidatos processados pelo Ministério público não poderão se candidatar.

2. Transparência total nos gastos dos políticos e funcionários publicos. Todos os rendimentos provenientes de fonte pública se tornarão publicos, assim como todos os gastos públicos em todos os governos, inclusive o estadual e o municipal.

3. Corte de 50% nas aposentadorias dos políticos. Corte de 80% dos rendimentos dos políticos e funcionários públicos processados pelo Ministério Público e afastamento do cargo, até o julgamento final. Prisão e corte na aposentadoria dos políticos e funcionários públicos condenados por corrupção, desvio de verbas públicas, formação de quadrilha e crimes contra o povo.

4. Fim da estabilidade do emprego no setor público e equiparação salarial com o setor privado.

5. Educação pública universal até o ensino superior. Fim do sistema vestibular.

6. Sistema público de saúde universal a todos os cidadãos.

7. Igualdade na aposentadoria de funcionários públicos e privados.

8. É considerado crime hediondo e inafiançável casos de corrupção no poder público.

9. Não pode se candidatar a cargos políticos os proprietários ou parentes de primeiro grau de proprietários de jornais, revistas, rádios ou canais de televisão aberta.

10. Todo e qualquer cidadão tem as mesmas chances de concorrer a um cargo político ou público, independente de renda, etnia, idade, sexo, religião ou inclinações ideológicas e partidárias.

 

O que não é democracia

 

- só aqueles tem dinheiro consegue se eleger

- ter políticos ligados à mídia de massa

- falta de educação básica universal

- políticos enriquecerem em seus mandatos

- propaganda política patrocinada por grandes empresas

- empreiteiras que pertencem a políticos

- lobby de empresas

- falta de transparência nas decisões

- falta de transparência dos gastos públicos

- falta de punição aos políticos corruptos

- inexistência de justiça

- concentração de renda e poder

- justiça diferenciada (privilegiada) aos políticos

- nepotismo ou contratação de parentes para cargos públicos

 

 

Luta pela verdadeira democracia

 

Enquanto tivermos um sistema democrático como o que temos hoje, estaremos fadados ao fracasso nacional. Sem justiça social e sem futuro. Estaremos sempre nas mãos de governantes e partidos corruptos com um sistema burocrático e ineficiente.

Infelizmente o PJUS não existe, é apenas uma ideia. A justiça social, sinto em dizer, nem utopia é, pois para ser utópico teria que pelo menos existir algum desejo para tal. Sou brasileiro e não vejo futuro para a democracia brasileira. Para isso seria necessário uma revolução, uma ruptura de modelo político, coisa de que estamos longe.

Filie-se à ideia. Ou continue na mesma.

contracultura.org@gmail.com

 

free counters